sábado, 1 de abril de 2017

Dizime & Oferte, apenas se você for FIEL.


Foto por: Núcleo Editorial
  











DÍZIMOS E OFERTAS, TRAZEM MALDIÇÕES EM 
ALGUNS CASOS QUE SE TORNARAM COMUNS EM NOSSOS TEMPOS.

Se somos infiéis em nossos atos, não será por meio de ofertas e dízimos que nos tornaremos fiéis.
Com isso quero dizer que, não se justifica infidelidade com dízimos e ofertas, como alguns levianamente pensam fazer.
E não serão aceitos se não estivermos vivendo uma vida ofertável. Porque primordialmente uma vida ofertável é o que se deve haver. Sendo mais claro e objetivo; estou convicto que se os valores que apresentarmos no templo não for acompanhado com a fidelidade que vivemos fora do mesmo, despertaremos a irá e a maldição sobre as bênçãos que recebemos.




"Agora, ó sacerdotes, este mandamento é para vós.

Se não ouvirdes e se não propuserdes, no vosso coração, dar honra ao meu nome, diz o Senhor dos Exércitos, enviarei a maldição contra vós, e AMALDIÇOAREI AS VOSSAS BÊNÇÃOS; e também já as tenho amaldiçoado, porque não aplicais a isso o coração." (Malaquias 2:1-2)

Talvez seja por isso que há entre nós tantos ladrões e salteadores, porque certamente o Senhor não receberá os valores que oferecemos pensando agradá-lo, persuadi-lo, barganha-lo; ou pior ainda, pensando que ele, (dono do ouro e da prata) , necessita e obriga dízimos e ofertas dados sem amor, alegria e FIDELIDADE em HONRA a Ele.

"E dizeis ainda: Eis aqui, que canseira! E o lançastes ao desprezo, diz o Senhor dos Exércitos; vós OFERECEIS O QUE FOI ROUBADO, e o coxo e o enfermo; assim trazeis a oferta. Aceitaria eu isso de vossa mão? diz o Senhor."
Malaquias 1:13

Observem, amigos e irmãos leitores, o livro de Malaquias, o mesmo que é utilizado para (Digo com todo respeito) "aterrorizar" os dizimistas quando à obrigação de dizimar (não estou dizendo que, sacerdotes que nos tornamos, não temos por ofício dizimar e oferta, mas que isso deve ser feito somente na condição de uma vida igualmente ofertável)
o livro diz que os sacerdotes quando ofereciam pão imundo profanavam o altar. Lembrando que agora na Nova Lei os chamados "sacerdotes" somos todos nós
(1 Pedro 2:9), o que significa que a responsabilidade sobre a qualidade do que se oferta é nossa.

E aumentando a nossa responsabilidade, lembro que o que se oferta no altar não se remete somente ao material (dinheiro, valores em espécie) mas sim, uma conjunta e espiritual retidão de nossas vidas.
Portanto, precisaremos a partir disso nos examinarmos toda vez que formos oferta no altar do Senhor, se nos examinarmos e nos encontrarmos por algum motivo infiéis na vida que vivemos, por zelo do altar, acredito que será mas digno o não oferta.
Esse texto vos escrevo para propor uma melhor qualidade no que apresentamos ao Digno, caso, o Digno o revele algum conhecimento que seja divergente a este que vos apresento, por favor e por amor, peço que me aconselhe ao que é mais correto segundo a palavra do Senhor. 
Amém!

Nenhum comentário:

Postar um comentário